10 principais dúvidas sobre criação de conteúdo em vídeo

Elencamos neste artigo as dúvidas que mais aparecem na caixinha de perguntas do nosso Instagram, entre os clientes ou entre os alunos dos cursos que oferecemos. Então, vamos direto ao ponto:

  1. Preciso mesmo gravar vídeo ou posso seguir postando foto nas redes sociais?

Precisar, não precisa. Mas, se quiser se diferenciar na comunicação com o seu público ou se estiver preocupada em estabelecer uma conexão mais próxima e direta com os clientes, aí os vídeos são ferramenta essencial. Vídeos geram mais engajamento no Instagram, seguido do formato em carrossel e por último de post estático ou foto, de acordo com dados de 2022 do próprio Instagram. Até 2021, o carrossel era o formato preferido.


Outro dado importante é que vídeos curtos (menos de 4 minutos) são os mais assistidos por todas as gerações, não só a Z. No Instagram, a preferência é por vídeos com menos de 30 segundos (principalmente no formato Reels).


>>> SAIBA MAIS: Recursos do Reels e como usar para criar vídeos que engajam.


Então, você pode seguir postando apenas foto, mas o resultado alcançado será menor e você gerará menos oportunidades de negócio. Aqui tem mais dados para exemplificar a importância dos vídeos como estratégia de comunicação de marca:


2. Tenho que comprar equipamento profissional para gravar vídeo para as minhas redes sociais?


Não! A condição ideal para começar não existe. Use o celular para captação de imagem e o fone de ouvido que vem junto com o aparelho para captar o áudio. Lembre que áudio ruim compromete demais a qualidade do seu vídeo e a experiência do seu público. Portanto, capriche! Sem eco, sem ruído, com clareza.


>>> SAIBA MAIS: Configure o celular para qualidade de câmera profissional



A janela é a sua luz perfeita. Se não puder investir numa iluminação profissional, aproveite a luz da rua no seu rosto, nunca nas costas. Ambientes bem iluminados melhoram a qualidade da imagem, principalmente a captada pelo celular porque a câmera tenta compensar a falta de luz automaticamente e pixela. Outra alternativa, se não puder aproveitar a iluminação natural, é comprar um ring light, que custa baratinho e ajuda bastante a uniformizar o tom da pele, tirando sombras do rosto. Você ainda pode escolher uma luz mais fria ou mais quente, dependendo do cenário e da intenção.




Além de imagem, som e iluminação, você pode usar criatividade para criar cenário. Busque referências, pense em elementos que ajudem a reforçar a sua marca, não pire em criar um cenário para cada vídeo. Plantas, livros e objetos de decoração da sua área de atuação ajudam a dar o clima sem onerar no orçamento.


3. Como delimitar o assunto para o vídeo não ficar longo e chato demais? Tudo me parece importante e aí eu me estendo na palestrinha.


Tudo começa no planejamento de conteúdo. Crie um roteiro (e eu juro que pode ser bem simples). O modelo mais básico é com tópicos que guiam sua linha de raciocínio. Na hora de gravar o vídeo, atenha-se aos pontos que planejou e evite devaneios.


>>> BAIXE AGORA, É DE GRAÇA: 3 modelos de roteiro para Youtube adaptados para usar já (inclusive iniciantes)!


Seja objetivo. Na hora de planejar o conteúdo, lembre que a pauta do vídeo deve ser bem específica, nunca tão abrangente quanto o assunto principal. Exemplo: sua especialidade é vídeo. Qual aspecto de todo o processo será contemplado neste conteúdo? Edição. Dentro de tudo que é possível falar sobre edição, qual a dúvida mais recorrente dos seus clientes? Vinheta. Sobre este tema, o que você quer comunicar? Pode dar algum macete, falar sobre o efeito sonoro que acompanha o movimento, indicar um site de inspirações, contar alguma novidade que facilita a criação, trazer uma tendência. Cada item deste rende UM vídeo. Definido isso, planeje um roteiro em tópicos e aí sim você está pronto para gravar de maneira objetiva e informativa.


Outra alternativa para evitar a palestrinha é usar as perguntas que surgem no direct ou nas caixinhas de perguntas. Atenha-se em responder aquilo que foi perguntado, sem abrir o texto para novos temas.


4. Pra gravar Reels, precisa dancinha ou ser engraçada? Fico constrangida porque sempre parece forçada.


Definitivamente, não! Pesquise as trends, os formatos e dublagens mais em alta no momento e adapte ao seu nicho. Se você se sente constrangida em dançar ou fazer piada, fuja do recurso porque o público percebe que não é natural e isso gera desconexão.


Nas redes sociais, as pesquisas mostram que o público busca prioritariamente por informação relevante, diversão e curiosidades. Se para você é natural unir os três fundamentos, melhor. Porém, importante mesmo é ser autêntico. Falta carisma? Use recursos de edição e de narrativa que ajudem a promover interação e descontração. Vale ler uma pergunta do público, por exemplo. Ou brincar com algum meme do momento. Ou interagir com os comentários que chegaram. Não seja refém das dancinhas, mas cuidado sempre com a palestrinha porque ninguém aguenta conteúdo sério o tempo todo.


5. Não tenho tempo para gravar vídeo. Existe alguma técnica de planejamento que me ajude a acelerar o processo?


Nenhum empreendedor tem tempo sobrando, né? Por aqui, a gente dá conta de atualizar as redes sociais todos os dias porque se planeja e estabelece que a comunicação e o marketing fazem parte dos pilares prioritários. Como somos em três pessoas, dividimos as funções, reservamos dias de produção e chegamos para gravar com o planejamento pronto.


No dia da gravação dos vídeos a gente já definiu (e escreveu):

  • temas

  • formatos

  • roteiros

  • referências (com o link)

  • cenário

  • figurino

Claro que facilita bastante porque o nosso cenário é fixo e está sempre pronto para as gravações. Criamos uma parede com a técnica lambe-lambe e te ensinamos aqui: https://www.instagram.com/reel/CYZTjA6va5v/?igshid=YmMyMTA2M2Y=


Outra dica é separar os figurinos numa arara. Aqui na Trilha Filmes a gente grava com uniforme, para agilizar. E nada de superprodução, hein?! Maquiagem de salão e penteado estão fora da realidade. Além de custo e tempo extra desnecessário, deixam você de um jeito que o cliente não vê na vida real e isso gera desconexão. O lema é colocar energia no que faz a diferença: conteúdo. Os outros processos a gente simplifica ao máximo para garantir que caiba na rotina.


Aqui tem um check-list que acelera o seu planejamento:


E aqui tem algumas dicas extras sobre planejamento de figurino e cenário:


6. É só ligar a câmera e me dá branco. Como reunir coragem para gravar vídeo com naturalidade?


Pense na câmera como uma amiga ou um cliente para quem você está contando uma novidade ou repassando uma informação valiosa. Não funcionou? Capriche no vídeo porque ele funciona como um SAC. Se você fizer direito, não precisa repetir mil vezes as respostas para as mesmas dúvidas, basta encaminhar o vídeo pronto.


Outra forma de tornar os seus vídeos mais naturais é escrever o texto no teleprompter (TP) de um jeito que seja adequado para a oralidade. Ou seja, escreva como você fala, sem palavras rebuscadas. Aqui tem alguns macetes:


Se nada disso funcionar, pratique, divirta-se no processo e compartilhe os bastidores para que o seu público contribua, se solidarize e incentive. Nossas fragilidades também geram identificação com o público e isso leva ao engajamento. Quanto mais você gravar, publicar, ouvir o público, avaliar e se sentir disposto a melhorar, mais rapidamente o vídeo se tornará algo natural e fácil de fazer. Para inovar e se diferenciar é preciso uma dose de cara de pau, conhecimento, organização e mão na massa.


7. Não sei editar. O melhor é editar no computador ou posso usar algum app no celular mesmo?


Regra geral, softwares de edição para desktop têm mais recursos do que os apps para celular. Porém, se a sua rotina exige soluções simples e ágeis, opte por um app e edite na palma da mão.


>>> SAIBA MAIS: Os 5 melhores aplicativos de edição para celular


Dá para criar uma identidade visual para o seu vídeo e manter os arquivos no app do celular para facilitar a edição. Hoje em dia já existem bons apps para legendar o vídeo (caso do Capcut, por exemplo). Mas ainda é mais fácil nos softwares para desktop. Também dá para legendar automaticamente no Youtube, como a gente explica no vídeo abaixo, porém é mais um processo na jornada até o seu vídeo final.


8. Meus vídeos ficam chatos. Que recursos eu poderia usar para prender a atenção das pessoas?


Existem muitas formas de tornar o seu vídeo mais dinâmico, criativo e atraente. Para começo de história, explore da melhor forma os primeiros cinco segundos. Vale usar um filtro que tenha a ver com o tema do vídeo, mudar a voz na edição (o Reels permite até gravar narração com voz de gás hélio), escrever na tela alguma provocação ou chamar a atenção com o que você tem a dizer.


Não perca tempo se apresentando ou com introduções longas (que chamamos de nariz de cera no jargão jornalístico). Na edição, escreva o seu nome e profissão se quiser se identificar nos vídeos. Mantenha na tela por no máximo cinco segundos, tempo suficiente para leitura. Isso já resolve a necessidade que você sente de se apresentar, ok?


Uma técnica para começar os vídeos é identificar as principais dores dos clientes e já de início abordar o assunto para criar identificação. Por exemplo: em vez de “vou explicar por que é importante se exercitar pelo menos 30 minutos por dia”, comece com “Você já acorda cansado? Falta disposição pra brincar lá fora com os filhos? Exercício físico regular é essencial pra ganhar vitalidade.”


>>> SAIBA MAIS: Acesse 3 aulas gratuitas do curso Como Criar Vídeo - da ideia à edição


9. Meus vídeos caseiros ficam toscos. Alguma técnica de edição que um iniciante consiga usar para melhorar a qualidade?


Os fundamentos mais importantes para os conteúdos em vídeo que você cria para as redes sociais são: qualidade de áudio, qualidade de imagem e conteúdo. Mas é claro que alguns recursos de edição vão contribuir para dar um aspecto profissional ao vídeo caseiro. É importante, por exemplo, que você crie uma identidade visual para o vídeo.


Ela pode estar presente em elementos-chave como o cenário, o uniforme e até um bordão. Mas a identidade visual também está em recursos de edição, como uma vinheta, uma tarja para aplicar o nome, a trilha sonora ou a própria linguagem de edição (cortes rápidos, inserção de memes ou outro método que se repita em todos os vídeos, criando um padrão).


Sabe quando a gente assiste a um filme e sabe que é daquele diretor? Ou quando vê um vídeo na internet e logo vincula com determinado canal ou marca? Os elementos de edição ajudam a criar este reforço de imagem que facilita a identificação.


Ao adotar recursos mais profissionais em seus vídeos, eles vão perdendo o amadorismo e fortalecendo sua marca.


>>> SAIBA MAIS: Iluminação de vídeo para iniciantes (5 itens fundamentais)


10. O que eu faço com as mãos diante da câmera? Tem alguma técnica de apresentação que os iniciantes possam usar?


Aja naturalmente. Se você mexe com as mãos na vida real, tudo bem mexer as mãos no vídeo também. Evite apenas gesticular na altura do rosto, para não cobrir sua expressão facial (ela também comunica).


Outra dica para você agir diante da câmera é testar apresentar em pé ou sentado. De qual maneira se sente mais confortável e natural? Em pé tende a ficar mais informal. Neste caso, cuide para não colocar a mão no bolso (transmite descaso) nem se apoiar num pé só (fica torto) ou se mexer demais e sair do enquadramento. Se decidir sentar, cuide com a postura. A tendência é ir relaxando à medida que o tempo passa.


Prefere não aparecer nos vídeos? Pode, mas saiba que gera menos conexão. A sua imagem transmite confiança ao cliente.


0 visualização0 comentário